NOTÍCIAS
 
BIÉNIO ACTUAL

Comissão Diretiva para o Biénio 2016 - 2017

 

Principais Linhas de Ação

Com base no que foi referido anteriormente e nos objetivos estatutários, apresentam-se um conjunto de linhas de ação, em relação às quais se propõe concentrar a atividade da APRH neste biénio.

Algumas das propostas são obviamente de continuidade, não se pretendendo ser demasiado ambicioso, mas cujo empenho pode e deve permitir ir mais além do que aquilo que é apresentado neste Programa de Candidatura, com o apoio dos Associados, das Comissões Especializadas e dos Núcleos Regionais.

Essas linhas de ação, que têm como objetivo subjacente uma maior implantação e visibilidade da APRH, são as seguintes:

  • Organização Interna;
  • Representação e Colaboração com outras Organizações;
  • Divulgação de Informação, Ciência e Tecnologia;
  • Gestão Pública dos Recursos Hídricos;
  • Internacionalização.

 

Organização Interna

A APRH necessita de continuar a fazer uma avaliação contínua da sua estrutura, de forma a adequar a sua organização interna à realidade atual, sem colocar em causa a sua sustentabilidade financeira.

Neste contexto propõe-se:

  • Realizar um balanço anual das atividades e recursos gerados;
  • Procurar diversificar fontes de financiamento e otimizar os recursos humanos atuais;
  • Promover um inquérito sobre as expectativas e opinião dos Associados relativamente ao funcionamento da APRH, de forma a obter possíveis contributos que auxiliem a melhoria e o crescimento da APRH;
  • Assegurar a articulação e reforçar a ação das Comissões Especializadas;
  • Assegurar a articulação com os Núcleos Regionais e reforçar o seu papel;
  • Procurar restabelecer o Núcleo Regional dos Açores;
  • Promover a atualização dos estatutos.

 

Representação e Colaboração com outras Organizações Nacionais

A representação da APRH em estruturas da administração será mantida e reforçada sempre que for solicitada, conforme legalmente previsto, e procurar-se-á estabelecer relações estreitas com organizações nacionais, com as quais se possa encontrar uma complementaridade de atuação.

Assim continuar-se-á a assegurar:

  • A representação nos órgãos consultivos com ligação aos Recursos Hídricos (Conselho Nacional da Água, Conselhos de Região Hidrográfica, etc.);
  • A representação no Conselho Consultivo da ERSAR;
  • A representação nos organismos internacionais, nomeadamente junto do Conselho Mundial da Água;
  • O desenvolvimento de sinergias com a Parceria Portuguesa para a Água (PPA) como plataforma de internacionalização do sector da água.

 

Divulgação de Informação, Ciência e Tecnologia

A APRH tem especiais responsabilidades na divulgação do progresso do conhecimento e na discussão dos problemas relativos aos Recursos Hídricos, nos domínios do planeamento, da gestão, do desenvolvimento, da administração, da ciência, da tecnologia, da investigação e do ensino e por isso organiza vários eventos onde a comunidade técnica e científica expõe esse conhecimento e dá um contributo significativo para esse desígnio global.

Nesse sentido a APRH tem todo o interesse em captar para a sua audiência pessoas das várias áreas de saber e conhecimento (Universidades, Administração, Empresas, Indústria, Stakeholders, etc), sabendo, de antemão, que existe esse interesse disperso e que, por via da APRH, poderá ser melhor divulgado entre os Associados e interessados em geral. A constituição de parcerias entre a APRH e essas instituições deve possibilitar uma cooperação mais próxima e uma participação mais ativa nos eventos organizados pela APRH, fazendo com que a informação transmitida possa ajudar a melhorar a gestão dos Recursos Hídricos em Portugal.

Neste contexto propõe-se:

  • Promover contactos e ações que contribuam para um maior envolvimento dessas várias entidades interessadas na temática dos Recursos Hídricos, através de sessões de divulgação sobre “O que é a APRH?” e “Contributos para uma melhor Gestão dos Recursos Hídricos”;
  • Propiciar nestes contactos o conhecimento de trabalhos já realizados e troca de impressões para novas propostas de atuação temáticas futuras;
  • Incentivar uma maior participação da indústria envolvida na temática dos Recursos Hídricos, para que haja uma maior divulgação das tecnologias, produtos e serviços produzidos e prestados, em particular aquando da organização de exposições técnicas;
  • Difundir e discutir temáticas que se supõem venham a assumir particular relevância e caráter de inovação no futuro, nomeadamente:

    o Energia hídrica;

    o Impacto das alterações climáticas e incerteza associada;

    o Valorização de águas residuais tratadas;

    o Quantificação e gestão dos riscos relacionados com fenómenos extremos;

    o A zona costeira e o mar;

    o Novas tecnologias para a gestão dos recursos hídricos;

    o Uso eficiente da água e reutilização de águas tratadas;

    o Melhoria da eficiência e recuperação de energia;

    o Regulamentação.

  • Dinamizar as atividades das comissões especializadas, de forma a reforçar a reflexão e a iniciativa em torno dos vários domínios, em coordenação com as atividades gerais da APRH.
  • Dar a conhecer a existência da APRH a camadas mais jovens através de um protocolo de cooperação com a Young Professional Network (YPN-Portugal) da IAHR, e simultaneamente promover a formação dos mesmos, através da organização de cursos de formação e de um evento anual destinado à apresentação de dissertações realizadas nesse ano, nas diversas instituições académicas nacionais, no âmbito dos recursos hídricos.

Por outro lado a divulgação das atividades da APRH para o exterior deve continuar de forma proativa, como um fórum preferencial de debate que, pela sua visão abrangente sobre as questões associadas aos Recursos Hídricos, deve desempenhar um papel agregador e catalisador, promovendo a transferência de informação e estimulando a participação ativa de associados e outros interlocutores.

Neste contexto propõe-se:

  • Dinamizar a publicação da “Recursos Hídricos” no seu novo formato e enquadramento, aumentando a sua visibilidade e atratividade, se possível com um maior envolvimento dos associados, permitindo a transmissão da sua opinião;
  • Estimular novas edições da coleção “Água, Ciência e Sociedade", de preferência com carácter didático;
  • Continuar o processo de renovação e dinamização do site da APRH, com um maior envolvimento dos seus Associados;
  • Atualização da base de dados de informação da APRH e outra de referência, a integrar no site;
  • Procurar usar formas de comunicação que proporcionem maior visibilidade à APRH e intervenção por parte dos seus associados, nomeadamente através da criação de uma “APRH_List” que facilite a circulação de informação.

A APRH irá continuar a organizar os eventos da sua responsabilidade, com diferentes temáticas atuais, objetivos e público-alvo, como uma das principais atividades de debate construtivo sobre o tema dos Recursos Hídricos. A reflexão sobre a racionalização dos eventos organizados pela APRH e por outras associações será também efetuada.

Eventos internacionais de referência previstos para o Biénio 2016-2017:

  • XVII SILUBESA (2016) (organização conjunta com a APESB e a ABES);
  • Singapore International Water Week (2016);
  • 4th IWA International Symposium on Water and Wastewater Technologies in Ancient Civilizations (Coimbra, 2016).
  • IX Congresso sobre Planeamento e Gestão das Zonas Costeiras (2017);
  • 13º SILUSBA (2017);
  • World Water Congress - IWA (México, 2017);
  • 70º Fórum Mundial da Água (Brasil, 2018).

Eventos nacionais previstos para o Biénio 2016-2017:

  • Jornadas de Restauro Fluvial (2016);
  • VII Congresso Ibérico das Ciências do Solo (2016);
  • VI Congresso Nacional de Rega e Drenagem (2016);
  • 11º Seminário sobre Águas Subterrâneas (2017);
  • 14º Congresso da Água (2018);
  • Organização de sessões técnicas, ciclos de debate e visitas técnicas associadas a temas de interesse no domínio dos Recursos Hídricos.

A valorização de trabalhos de mérito no sector da água produzidos durante o período de formação de jovens investigadores continuará através da atribuição dos prémios:

  • PRÉMIO APRH, para teses de doutoramento ou equivalente;
  • PRÉMIO APRH, para Jovens Investigadores, para dissertações de mestrado.

 

Gestão Pública dos Recursos Hídricos

A discussão dos problemas relativos aos recursos hídricos, em particular nos domínios do planeamento, da gestão, da administração, entre outros, relega-nos obrigatoriamente para a análise das políticas públicas vigentes e, nesse sentido, a APRH tem de ser capaz de avaliar os momentos e os conteúdos da sua alteração, quando tal ocorre, ou monitorizar a forma como são implementadas no dia-a-dia.

A implementação de novas políticas e iniciativas no sector da água podem ocorrer, como já foi referido, quer a nível nacional quer a nível internacional e a APRH deve ter a preocupação de contribuir, por via da análise dessas políticas públicas, para uma gestão sustentável da água a curto e médio prazo.

Foi já nesse sentido que no decurso do mandato da Comissão Diretiva anterior foi efetuada uma reflexão sobre o passado recente, a situação atual e o futuro das políticas, do planeamento e da gestão da água em Portugal, através do relatório do já referido Grupo de Trabalho.

Tal como se concluiu aí, é desejável uma interligação efetiva das políticas públicas entre os vários organismos e de ações que assegurem uma gestão da água orientada para os novos desafios, a que o contexto de incerteza e o quadro de restrições financeiras atual vêm trazer um nível de complexidade acrescido.

Neste contexto propõe-se:

  • Continuar a promover a análise das políticas públicas, estabelecendo um contacto direto com as estruturas políticas e administrativas responsáveis pela sua elaboração e/ou execução, bem como dos grandes utilizadores da água, ampliando, se necessário, o trabalho realizado pelo referido Grupo de Trabalho;
  • Continuar a estimular a organização de outros Grupos de Trabalho temáticos que produzam textos de reflexão da APRH sobre o conteúdo e implementação das políticas públicas no sector da água;
  • Avaliar a viabilidade de continuação do "Gulbenkian Think Tank and the Future of the Humanity" e apoiar iniciativas congéneres que permitam refletir sobre as políticas da água em Portugal e no Mundo;
  • Refletir sobre a globalidade e integração dos vários planos em curso e/ou em revisão - Plano Nacional da Água; Planos de Gestão de Região Hidrográfica; Planos de Gestão de Riscos de Cheias e Inundações; Programas de Ordenamento da Orla Costeira; Plano de Ordenamento do Espaço Marítimo; Planos de Estuários, etc, envolvendo sempre que necessário os Núcleos Regionais para uma análise e avaliação crítica mas construtiva;
  • Analisar a gestão das Bacias Internacionais;
  • Acompanhar a implementação da Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas;
  • Avaliar a implementação da " Estratégia para o Sector de Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais — PENSAAR 2020”.

 

Internacionalização

O reforço da presença internacional da APRH permitirá alargar o nosso conhecimento sobre os grandes desafios globais da sustentabilidade. A dimensão internacional da APRH irá ser fortalecida aumentando a participação portuguesa nos fora e think-tank internacionais, onde os paradigmas se consolidam e a agenda mundial do sector da água se desenha, e aprofundando a interação com associações internacionais congéneres, em particular as do espaço lusófono.

Neste contexto propõe-se:

  • Reforçar a interação com associações internacionais congéneres, dando particular atenção ao espaço lusófono;
  • Envolver se possível a APRH na preparação do próximo Fórum Mundial da Água, que se realiza em 2018 no Brasil;
  • Dinamizar parcerias com associações internacionais, com destaque para a Associação Internacional da Água (IWA - Internacional Water Association), a Associação Internacional dos Recursos Hídricos (IWRA - International Water Resources Association), a Associação Europeia da Água (EWA - European Water Association), a International Association for Hidro-Environment and Hydraulic Engineering Research (IAHR) e continuar a acompanhar os desenvolvimentos da Alliance of Water Associations;
  • Os resultados de programas e iniciativas elaboradas por diversas organizações internacionais no sector da água devem merecer reflexão por parte da APRH.

 

Síntese

Em síntese, tendo em consideração o que foi anteriormente exposto e a missão da APRH, a Comissão Diretiva procurará:

  • Reforçar o caráter da APRH como o fórum nacional de debate científico, técnico e de políticas sobre a água, expressando publicamente e em forma de documento de reflexão, as suas opiniões em relação às temáticas estruturantes para o sector da água em Portugal;
  • Fomentar a participação de entidades públicas e privadas num processo de reflexão conjunta sobre o futuro das políticas de gestão da água;
  • Contribuir para a difusão do conhecimento no sector da água;
  • Sensibilizar a sociedade em geral para os desafios atualmente enfrentados pelo sector da água e para as formas de contribuir para a sua sustentabilidade;
  • Melhorar a visibilidade internacional da Associação, aprofundando as ligações com associações congéneres e intervindo em fora internacionais;
  • Melhorar a estrutura administrativa da APRH no sentido de poder assegurar a prossecução dos objetivos estatutários da APRH.