NOTÍCIAS
 
REVISTA "RECURSOS HÍDRICOS"

Site da revista (http://www.aprh.pt/rh/)

 

Âmbito da Revista

 

A revista “Recursos Hídricos” foi criada em 1990 e veio preencher, como publicação periódica, uma importante lacuna no universo científico e técnico na área dos recursos hídricos em língua Portuguesa, constituindo um importante meio de divulgação de artigos desta área. Em 2010 foi disponibilizada a versão online e em 2016 a revista adquiriu um novo perfil.
Com este novo perfil, pretende-se reforçar o papel da revista “Recursos Hídricos” como veículo privilegiado para apresentar opiniões, lançar o debate e congregar sugestões de propostas sobre várias questões críticas a nível nacional, fazendo também eco dos grandes temas da agenda internacional.
Por um lado, vão continuar a difundir-se os desenvolvimentos conseguidos nos centros de produção de conhecimento, bem como os trabalhos de elevada qualidade realizados nas empresas portuguesas e gabinetes de consultoria que possam ser considerados de referência na resolução de problemas complexos na nossa área.
Para além disso, queremos, que a revista seja um meio prioritário para que a administração exponha a sua visão sobre possíveis alterações legislativas e institucionais, para a disseminação das reflexões internas da APRH, dos seus associados e da comunidade técnico-científica e, ainda para apresentação das sínteses comentadas das conclusões dos eventos que organizamos.
Com o novo perfil da “Recursos Hídricos” pretendemos aproximar mais os nossos membros e motivar outros especialistas da área a aderir a esta que é a mais antiga associação do sector, fundadora e criadora de uma dinâmica de intervenção que foi essencial para atingirmos um nível de resposta aos problemas da água reconhecido internacionalmente como exemplar.
Porquê publicar na revista Recursos Hídricos?
• Os artigos são criteriosamente avaliados, com relativa rapidez, por revisores credenciados e independentes.
• Os artigos (bem como a revista completa) ficam disponíveis online, logo têm um público-alvo de milhões de leitores e a elevada possibilidade de serem citados, viabilizando o aumento dos índices de impacte.
• Os artigos publicados nesta revista são identificados com DOI (Digital Object Identifier), único para cada artigo, facilitando/proporcionando a sua localização e descarga autónomas a partir da internet.

 

 

Ficha Técnica

Proprietário:

Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos

Director:

António Gonçalves Henriques

Diretores Associados:

 

Ana Katila Ribeiro
Fernanda Santiago
Maria Manuela Portela 

 

Conselho Editorial

António Betâmio de Almeida
António Guerreiro de Brito
António Pinheiro
António Trigo Teixeira
Catarina Roseta Palma
Fernando Veloso Gomes
Francisco Ferreira
Francisco Nunes Correia
Jaime Melo Baptista
João Pedroso de Lima
Jorge Matos
José Matos
Luís Ribeiro
Manuel Rijo
Maria da Conceição Cunha
Paulo Canelas de Castro
Rafaela Matos
Rodrigo Maia
Rodrigo Oliveira
Rui Santos
Teresa Ferreira 

Secretariado:

Ana Estêvão
André Cardoso
Conceição Martins

Redacção e administração:

Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos
a/c LNEC
Av. do Brasil, 101
1700-066 Lisboa
PORTUGAL
Telefone 21 844 34 28 - Telefax 21 844 30 17

 

Capa:

Flatland

Registo de imprensa n º 106 936

Depósito legal n.º 5838/84
ISSN 0870-1741

 

Normas para Submissão de Artigos

Os autores interessados em publicar artigos técnico-científicos ou discussões de artigos anteriormente publicados na revista Recursos Hídricos deverão respeitar as seguintes normas:

  1. Redacção em língua portuguesa ou inglesa, utilizando a forma impessoal, e submissão electrónica, em conformidade com os procedimentos incluídos na estrutura informática criada para o efeito. O processador de texto a utilizar deverá ser Word (Microsoft).
  2. Deverá ser preparado e submetido um primeiro ficheiro com o título do artigo, o nome e a filiação do(s) autor(es). Deverá ser preparado e submetido um segundo ficheiro com o título do artigo e os resumos em Português e em Inglês, sem identificação do(s) autor(es). Deverá ser preparado e submetido um terceiro ficheiro com o título e texto do artigo, sem identificação do(s) autor(es) e sem tabelas, imagens ou figuras, mas com indicação do local de inserção das mesmas.
  3. As imagens, figuras e/ou fotografias (a cores ou a preto e branco) deverão ser submetidas em separado (TIF, GIF, BMP ou JPG) e com qualidade para impressão offset (300 dpi). Os gráficos, esquemas e tabelas devem ser também apresentados em separado e editáveis (por ex., Excel inserido em Word); no caso dos gráficos, devem ser também apresentadas as tabelas numéricas (em formato Excel) que lhes deram origem.
  4. As equações não devem ter mais de 7.5cm de largura e devem ser gravadas no formato EPS, a 300 dpi.
  5. Deverá ser preparado e submetido um PDF do artigo completo, de forma a esclarecer dúvidas de composição de texto face aos documentos recebidos.
  6. O texto do manuscrito deverá ser corrido a uma coluna, com espaçamento normal (18pto), e ter uma extensão máxima de 20 mil caracteres.
  7. Deverá ser utilizado o Sistema Internacional de Unidades (SI); não deverá haver espaço entre os algarismos e a abreviatura das unidades.
  8. O título do artigo não deverá exceder 80 caracteres e deverá ser apresentado também em inglês.
  9. No ficheiro com o título do artigo e identificação do(s) autor(es), deverá ser indicado um máximo de 3 referências aos graus académicos ou cargos profissionais do(s) autor(es), assim como o(s) número(s) de associado, caso seja(m) membro(s) da APRH.
  10. Os resumos do artigo em português e em inglês (abstract) não deverão exceder mil caracteres cada.
  11. As referências bibliográficas no meio do texto devem ser feitas de acordo com a norma portuguesa NP-405 de 1996, indicando o nome do autor (sem iniciais) seguido do ano de publicação entre parêntesis. No caso de dois autores, deverão constar os dois nomes separados com vírgula e seguidos do ano de publicação entre parêntesis. No caso de três ou mais autores, deverá constar apenas o nome do primeiro autor seguido de et al. e do ano de publicação entre parêntesis. No caso de mais de uma referência relativa ao mesmo autor e ao mesmo ano, devem ser usados sufixos a), b), etc.
  12. Os artigos devem terminar por uma lista da “Bibliografia” organizada por ordem alfabética do nome (apelido) do primeiro autor, seguido dos nomes dos outros autores, caso os haja, do título da obra, editor, local e ano de publicação (ou referência completa da revista em que foi publicada). Apresenta-se abaixo uma lista de exemplos na forma como devem ser referidos na “Bibliografia”.
  13. Só serão aceites discussões de artigos publicados até três meses após a publicação do número da revista onde esse artigo se insere. As discussões serão enviadas ao autor do artigo, o qual poderá responder sob a forma de réplica. Discussões e réplica, caso exista, serão, tanto quanto possível, publicadas conjuntamente.
  14. O título das discussões e da réplica é o mesmo do artigo original acrescido da indicação Discussão ou Réplica. Seguidamente, deve constar o nome do(s) autor(es) da discussão ou da réplica, como indicado no ponto 8.
  15. As normas e procedimentos para preparação e submissão de discussões e réplicas são idênticos aos da submissão dos artigos.
  16. Oportunamente deverá ser disponibilizado um template para composição do texto.

Bibliografia

Na “Bibliografia” os trabalhos devem ser referidos da seguinte forma:

Artigos:
Zhong Z. & Wang K.H. (2009) - Modeling fully nonlinear shallow-water waves and their interactions with cylindrical structures. Computers and Fluids, Vol. 38 (5), 1018-1025.
Silva, I.R., Costa, R.M. & Pereira, L.C.C. (2006) - Uso e ocupação em uma comunidade pesqueira na margem do estuário do Rio Caeté (PA, Brasil). Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, 13:11-18. (disponível em
http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/made/article/view/4781/6743)

Livros:
Bruun P. & Gerritsen F. (1960) – Stability of Coastal Inlets. 123p., North-Holland Publishing Company, Amsterdam, Holanda. ISBN-13: 978-0720416015.
Antunes do Carmo J.S. (2004) – Modelação em Hidráulica Fluvial e Ambiente. 430p., Imprensa da Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal. ISBN 972-8704-28-3. Depósito Legal nº 218895/04.

Capítulos de Livros:
Voorde M.T., Antunes do Carmo J.S. & Neves M.G. (2009) - Multi-functional artificial reefs for coastal protection. In: Ch. A. Hudspeth e T.E. Reeve (eds.), Agricultural Runoff, Coastal Engineering and Flooding, pp. 153-210, Nova Science Publishers, Inc. NY. ISBN 978-1-60741-097-3.
Widmer, Walter Martin (2003) - Recreational boats and submerged marine debris in Sydney Harbour, Australia. In: Narendra K. Saxena (Org.), Recent Advances in Marine Science and Technology, pp.565-575, PACON International, Honolulu, HI, USA. (disponível em http://nippon.zaidan.info/seikabutsu/2002/00223/contents/142.htm)

Teses:
Voorde M.T. (2009) - Contribution to the design of Multi-Functional Artificial Reefs. 196p., Tese de Doutoramento, Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal.

Relatórios:
Governo do Estado do Pará (2004) - Macrozoneamento Ecológico-Económico do Estado do Pará/2004: Proposta para Discussão. 132p., Secretaria Especial de Estado de Produção / Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Belém, PA, Brasil. (file://localhost/disponível em http/::www.amazonia.org.br:arquivos:148997.zip)

Relatórios não publicados:
Costa, C.L. (1994) - Final report of sub-project A “Wind wave climatology of the Portuguese Coast”, Instituto Hidrográfico/LNEC, Report 6/94-A, 80p. Lisboa, Portugal. (não publicado).

Internet – livros electrónicos (e-books):
Dias, J.A. (2004) - A Conquista do Planeta Azul: o início do reconhecimento do oceano e do mundo (Versão Preliminar). http://w3.ualg.pt/~jdias/JAD/e_b_CPAzul.html. Faro, Portugal.

Internet – artigos de revistas electrónicas (e-papers):
Rei, A. (2005) - O Gharb al-Andalus em dois geógrafos árabes do século VII / XIII: Yâqût al-Hamâwî e Ibn Sa‘îd al-Maghribî. Medievalista on line, 1, IEM-Instituto de Estudos Medievais, Lisboa, Portugal.
http://www.fcsh.unl.pt/iem/medievalista/MEDIEVALISTA1/PDF/GHARB_AL_ANDALUS_pdf

Internet – relatórios electrónicos (e-reports):
Rodrigues, R. Brandão, C. & Costa, J.P. da (2004) – A Cheia de 24 de Fevereiro de 2004 no Rio Ardila. 11p., Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, Instituto da Água, Lisboa, Portugal.
http://snirh.pt/snirh/download/relatorios/cheia_pedrogao200402.pdf

Internet –sem autor identificado em portais electrónicos (web sites):
Instituto de Meteorologia (s/d) – Extremos Climatológicos. Instituto de Meteorologia, Lisboa, Portugal. In: http://www.meteo.pt/pt/oclima/extremos(acedido em Abril 2008).