Menu:

 

 

Volume 22, Issue 2 - June 2022

 

Download (3121KB, PDF)

 

 

  • Abstract / Resumo
  • References / Bibliografia
  • Citations / Citaçes

Revista de Gestão Costeira Integrada
Volume 24, Issue 2, September 2022, Pages 145-168

DOI: 10.5894/rgci-n507
* Submission: 5 MAY 2022; Peer review: 7 MAY 2022; Revised: 20 SEP 2022; Accepted: 20 SEP 2022; Available on-line: 31 OCT 2022

Long-term Coastline evolution of Figueira da Foz – Nazaré sector (Portugal)

Luís Rebêlo@ 1, Sílvia Osório Nave2


@ Corresponding author: luis.rebelo@lneg.pt
1 Laboratório Nacional de Energia e Geologia.
2 Laboratório Nacional de Energia e Geologia. Email: silvia.nave@lneg.pt


ASBTRACT
Some sectors of the west Portuguese coast are particularly endangered by erosion and flooding. Regional to local scale information, on coastline evolutionary trend, is particularly valuable in sectors that includes areas with relevant erosion. A continuous, high-resolution, dataset on coastal evolution, from 1947 and 2015, between Figueira da Foz and Nazaré, was achieved within the Programme “Geological and Coastal Hazard Mapping at a 1:3000 resolution scale” at the National Laboratory of Energy and Geology (LNEG). This work, due to the detailed scale of analysis in a wide geographic context, allows to have both, a general overview of the coastal evolution and, at the same time, when zooming in up to 1:3000 scale, to observe the local behaviour and to quantify the occurred changes. Also, the well time-spaced aerial photograph dataset allows to compare the resultant coastline movement between the oldest and the youngest coastline (NSM index), with the total coastline oscillation (SCE index), bringing new insights on the coastline stability at a local scale. The evolution trend shows an overall erosional behaviour, if considering the entire sector. Erosion occurs predominantly in the north, as the south shows more stability and progradation. Quantification of the land-lost and land-gain due to the coastline shift in a 68-year period shows that 1 164 888 m2 of land were lost along 30 470 m of the coastal fringe, and 462 330 m2 were gained along an extension of 21 010 m.

Keywords: Coastal hazard mapping; Western Portuguese coast; Coastline evolution; Coastal erosion and accretion; Digital Shoreline Analysis System (DSAS).

RESUMO
Alguns sectores da região oeste da costa portuguesa estão particularmente ameaçados por fenómenos de erosão costeira e inundação. A informação sobre a tendência evolutiva da linha de costa, a uma escala regional e local, é particularmente importante em sectores onde se verifica erosão costeira relevante. Dados contínuos, de alta resolução, sobre a evolução da linha de costa entre 1947 e 2015, no sector costeiro entre a Figueira da Foz e a Nazaré, foram produzidos no Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG) no âmbito do Programa “Cartografia Geológica e de Perigosidade da Zona Costeira, à escala 1:3000”. Este trabalho, devido à análise realizada a uma escala de grande detalhe, permite ter uma visão geral da evolução da linha de costa deste sector e ao mesmo tempo, ampliando à escala 1:3000, observar o seu comportamento bem como quantificar as mudanças ocorridas em pequenas áreas. Além disso, a análise de um conjunto de dados de fotografias aéreas, espaçadas no tempo, permite comparar a evolução da linha de costa entre o período mais antigo e o mais recente (índice NSM), com a oscilação total da linha de costa (índice SCE), trazendo um novo conhecimento sobre a sua estabilidade a uma escala local. A tendência evolutiva mostra um comportamento erosivo global, se considerado todo o sector analisado. No entanto, a erosão ocorre predominantemente no sector norte, sendo que a zona sul apresenta mais estabilidade e progradação. A quantificação da perda e ganho de território devido às variações da linha de costa durante os últimos 68 anos mostra que se perderam 1 164 888 m2 de território ao longo de 30 470 m da orla costeira, havendo um ganho de 462 330 m2 ao longo de uma extensão de 21 010 m.

Palavras-chave: Cartografia de perigosidade costeira; Litoral português oeste; Evolução da linha de costa; Erosão costeira; DSAS.